O documentário sobre Roberto Burle Marx chega aos cinemas neste feriado. Já a mostra sobre sua obra inaugura em 8 de dezembro no MuBE, em São Paulo

Roberto Burle Marx em cena do Filme Paisagem, que estreia nesta quinta-feira no cinema.

“Filme Paisagem – um Olhar sobre Roberto Burle Marx”, do diretor e roteirista mineiro João Vargas Penna, com estreia marcada para esta quinta-feira, retrata projetos emblemáticos deste artista plástico (1909-1994), fascinado por plantas e autor de mais de 2 mil jardins. Com gostosa narrativa baseada em textos do paulistano, o filme apresenta o sítio Burle Marx, em Barra de Guaratiba, RJ, seu lugar de experimentação botânica com mais de 3,5 mil espécies vegetais; a orla de Copacabana, no qual ele criou, nos anos 1970, os desenhos do canteiro central, o mosaico junto aos prédios e o novo traçado das ondas no calçadão; o Parque do Flamengo, de 1965, área de 1,2 milhão de m² em que plantou espécies tropicais; entre outros projetos no Rio de Janeiro, em Recife, Brasília e no exterior.

Em São Paulo, o paisagista compôs jardins em capela – a do Cristo Operário, no Ipiranga – em edifícios e instituições culturais. Uma delas é o Museu Brasileiro da Escultura e Ecologia (MuBE), sede da exposição“Burle Marx: Arte, Botânica e Paisagem”, a ser inaugurada em 15 de dezembro, com pinturas, esculturas, maquetes e amostras de vegetação. O paisagismo da Fundação Ema Klabin assim como a do Parque Burle Marx , no Panamby, uma parceria com Oscar Niemeyer, compõem a mostra.

Antecipando as comemorações dos 110 de seu nascimento em 2019, Burle Marx recebe merecida homenagem por seu legado. Além de conceber inúmeros jardins, sempre valorizando nossa vegetação nativa, foi precursor na defesa do meio ambiente e elevou o paisagismo brasileiro ao reconhecimento internacional. Chegou a descobrir mais de 35 novas espécies em viagens pelo Brasil, algumas ganharam seu nome: Heliconia burle-marxii e Merianthera burlemarxii, do Espírito Santo. No sítio em Guaratiba, onde viveu dez anos, conservou uma das mais importantes coleções de plantas do mundo. Esse acervo pode ser visitado até hoje graças a sua doação do terreno ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), em 1985.

Veja o trailer do “Filme Paisagem”

O Parque do Flamengo, no Rio de Janeiro, é o maior jardim criado pelo paisagista. 

Em São Paulo, a Fundação Ema Klabin conserva o traço paisagístico de Burle Marx, embora algumas espécies tenham sido modificadas. Foto: Henrique Luz