É a primeira vez que o prédio construído em 1912 recebe uma mostra de decoração

Corredores, salas e quartos do Mosteiro de São Bento, no centro da capital paulista, ganham novos tons na 6ª edição da mostra idealizada por Sergio Zobaran que ocorre até 25 de agosto. Além da oportunidade única de visitar áreas do edifício que normalmente são restritas ao público, o evento-âncora do DW! encanta pela charmosa mistura de peças clássicas e contemporâneas nos vinte ambientes assinados por profissionais veteranos e novos talentos.

É deste grupo que faz parte o escritório AMMA Projetos, formado pelos irmãos Beatriz e Caio Andreazza Morbin, que ambienta o refeitório do prédio histórico. A dupla criou um projeto de financiamento coletivo voltado para a manutenção do Mosteiro, onde os visitantes da mostra podem “adotar” uma das 20 mesas e 160 cadeiras originais da fundação do edifício. O móvel levará uma placa com o nome do adotante, tornando-o único. Além desta iniciativa, talks sobre decoração, restauro, reciclagem, antiquariato e história da arquitetura agitam o evento. 

Selecionamos abaixo, alguns dos nossos ambientes preferidos:

Propiciar conversas com conforto. Foi esse o objetivo das arquitetas Eliane Mesquita e Camila Almeida ao ambientarem a sala onde originalmente os monges recebem, ouvem e orientam seus convidados. Um amplo sofá e a sinuosa poltrona em junco convidam a sentar, enquanto duas cômodas servem de apoio a peças de arte e fazem as vezes de vaso para suculentas.

A Sala do Conservatório, geralmente fechada ao grande público, recebeu a ambientação do designer de interiores Maximiliano Crovato para a mostra. No piso, o tapete colorido desenhado pelo profissional para a Punto e Filo a ser lançado no Brasil no próximo ano. Esculturas de artistas como Joana Vasconcelos (sobre a lareira) e Lucas Simões (ao lado do piano) e um divertido sofá curvo complementam o espaço. 

O sergipano Wesley Lemos participa assinando o Quarto do Papa, composto por estar, dormitório e banheiro, que faz parte da área de clausura do mosteiro. Móveis contemporâneos e de antiquário e obras de arte sacra e artesanato se misturam harmoniosamente nos 40 m².  

Obras de arte contemporâneas e antiguidades ambientam o espaço que leva a assinatura dos sócios João Mansur e Matheus Garcia. No piso, tapete com estampa geométrica em tons de vermelho, mesmo tom que colore as paredes e teto abobadado do corredor. 

Outra inovação desta mostra são nove espaços “instagramáveis” que ocupam o auditório do mosteiro. A configuração da área foi concebida pelo arquiteto Guilherme Torres e tem ambientes assinados por Roberto Cimino e Nelson Amorim, Juliana Vasconcelos, Stella Crissiuma, e pelo escritório CSDA Arquitetura.