Monumento histórico no centro de São Paulo abrigará pela primeira vez uma mostra de decoração

Concluído em 1912, o Mosteiro de São Bento sediará, de 10 a 25 de agosto, a 6ª edição da Modernos Eternos São Paulo. Com 20 ambientes, de 20 a 200 m², a mostra, iniciada em 2014, caracteriza-se pela mistura de estilos, do antigo ao contemporâneo. O evento conta ainda com uma edição mineira – essa marcada para acontecer de 25 de junho a 7 de julho no Clube dos Caçadores, em Mangabeiras, Belo Horizonte.

“No mosteiro, os profissionais montarão ambientes conceituais em apenas 48h, sem necessidade de obra ou geração de resíduos”, afirma o curador Sergio Zobaran, sócio-fundador da marca, que hoje tem Josette Davis, da mostra mineira, como sua nova partner na empreitada nacional.

Outra novidade é o número de espaços – o dobro de 2018 – e a montagem de um café com a oferta dos produtos feitos pelos monges que ali habitam: dos pães ao mel, bolos e também cervejas artesanais.

Móveis, objetos, luminárias, revestimentos e obras de arte dos espaços estarão à venda desde o dia da abertura. “A mostra tem cunho social e se integrará ao entorno, com ações que beneficiarão moradores e visitantes da área, um ponto turístico por excelência na capital paulistana”, diz Zobaran.

Já em Belo Horizonte, o imóvel de estilo brutalista (foto abaixo), assinado por Marco Antônio de Pádua, sede da Modernos Eternos 2018, voltará a abrigar a mostra com 23 ambientes que homenagearão personalidades mineiras. Entre os profissionais participantes, estão Cássio Gontijo, Cristina Menezes, Laura Rabe, Leonardo Veloso e Sandra Penna.

Está prevista ainda uma agenda paralela com cerca de 200 ações culturais de incentivo a arte popular e contemporânea. Outro destaque será a parceria com o chef Leo Paixão com quatro espaços dedicados a gastronomia.

Fotos: Divulgação