Em destinos turísticos famosos, eles são ótimos motivos para definir a próxima viagem de férias

Na Europa, nos Estados Unidos e no Brasil, selecionamos endereços que tiveram seus edifícios renovados por expoentes escritórios de arquitetura para o uso hoteleiro. Em Los Angeles, um antigo posto do Corpo de Bombeiros exibe agora nove quartos com decorações exclusivas. Estão na lista também dois assinados pela paulista Patricia Anastassiadis – um, no Rio de Janeiro, inaugurado em agosto, e outro, na Riviera francesa, concorrência vencida recentemente. Há ainda projetos construídos do zero, como o Grand Park Hotel, na costa oeste da Croácia, com interiores planejados pelo mestre italiano Piero Lissoni.   

Fotos: Divulgação

A paulistana Patricia Anastassiadis comandou a transformação do Fairmont Copacabana, antigo Sofitel, inaugurado no início de agosto, no Rio de Janeiro. O primeiro hotel da bandeira canadense na América Latina tem uma vista de tirar o fôlego, com terraço debruçando-se sobre a praia, de frente para o Forte de Copacabana. O desafio aqui foi preservar aspectos arquitetônicos e a charmosa atmosfera da construção carioca. Para maior comodidade, o check-in é feito no 8º piso, onde está o amplo lounge, ladeado por duas áreas de piscina: uma para o sol da manhã e outra para o da tarde. A mobília leva a assinatura de importantes nomes do design nacional, como Jorge Zalszupin, Sergio Rodrigues, Etel Carmona e Ronald Sasson, além de peças desenhadas pela própria arquiteta. Esculturas de Hugo França, cerâmicas de Heloisa Galvão e cestarias, desenvolvidas por artesãos do Amazonas sob orientação de Sérgio J. Matos, conferem brasilidade ao projeto. 

A arquiteta será responsável ainda pela renovação do restaurante, bar e grill do du Cap-Eden-Roc, na Riviera Francesa. O hotel de luxo, que já hospedou personalidades como Pablo Picasso e Ernest Hemingway, celebra seu 150º aniversário em 2020. A reinauguração das áreas reformadas pela brasileira está prevista para abril.

Fotos: Reprodução/Dezeen/Jure Zivkovic

Construído em pavimentos que remetem aos terraços incas, o Grand Park Hotel, em Rovinj, costa oeste da Croácia, tem projeto arquitetônico do escritório local 3LHD e interiores assinado pelo arquiteto e designer italiano Piero Lissoni. O hotel cinco estrelas conta com 209 quartos distribuídos nos três primeiros pavimentos, enquanto as áreas comuns – restaurantes, bares, piscina e centros de convenções – ocupam os dois pisos superiores, privilegiando a vista. O paisagismo é um dos pontos altos, com jardins nos terraços e nas varandas dos quartos, além dos que circundam o edifício. 

Fotos: Divulgação

Em Roma, o antigo Hotel Apollo, formado por dois prédios no início dos anos 1900, foi transformado em hotel boutique três estrelas pelo escritório italiano Studio Tamat e pela designer Sabina Guidotti. Batizado Condominio Monti, cada um dos seus quartos tem decoração exclusiva. Um dos edifícios era residencial, o que fez os profissionais manterem a estrutura da planta, adaptando-a para parecer uma tradicional casa romana, na qual os apartamentos ficam dispostos em um único corredor. Há dois tipos de acomodação: suítes e estúdios, equipados com cozinha e estar. Ambos prédios, na Via dei Serpenti, possuem café e restaurante independentes. Na cobertura, o terraço propicia vista para o Coliseu e a para a igreja Sant’Agata dei Goti.

Fotos: Reprodução/Instagram, Reprodução/Dezeen/Collin Hughes

A marca fitness Equinox abriu seu primeiro hotel cinco estrelas em Nova York, um edifício espelhado de 14 andares projetado pelo escritório internacional SOM. Os 212 quartos – classificados como “cabines de sono”, para o máximo relaxamento e descanso dos hóspedes, com tratamento acústico e controle térmico especial – e o restaurante Eletric Lemon levam assinatura do escritório de arquitetura Rockwell Group. Já o londrino Joyce Wang Studio ficou responsável pelo projeto do spa e do centro fitness. No terraço do restaurante, com vista para o rio Hudson, fica um dos espaços mais instagramáveis do novo endereço: uma escultura do artista espanhol Jaume Plensa sobre um espelho d’água. A marca esportiva de luxo planeja ainda a expansão para as cidades americanas de Houston, Los Angeles e Chicago. 

Fotos: Reprodução/Instagram, Reprodução/Designboom/David Cleveland, Tim Charles e Timothy Soar

Ao lado de uma das estações mais famosas do mundo, a King´s Cross, em Londres, o The Standard chama a atenção pelas formas curvas e pelo seu simpático elevador panorâmico, pintado de vermelho. O projeto de reforma do cinco estrelas, que transformou o edifício de 1974 neste hotel boutique, é do escritório londrino Orms em parceria com o designer de interiores Shawan Hausman e o arquiteto Archer Humphryes. As escuras janelas originais foram substituídas por vidro transparente, uma forma de dar ainda mais destaque às formas arredondadas da arquitetura, além de contrastar com o concreto da fachada. Três novos andares foram adicionados ao edifício com 266 quartos.

Fotos: Reprodução/Instagram/Laure Joliet

Um antigo posto de bombeiros foi restaurado para dar lugar ao Arts District Firehouse Hotel, em Los Angeles. A construção de 1927 fica no novo distrito de artes da cidade californiana e abriga o primeiro hotel da região, reformado pelo americano Tyler Stonebreaker, do Creative Studio. As tradicionais portas vermelhas das fachadas foram mantidas, assim como o teto, as janelas e as paredes de tijolinhos. O projeto de interiores, sob a coordenação da designer Sally Breer, do escritório ETC.etera, detalhou uma ambientação diferente para cada um dos nove quartos. Lobby, bar e restaurante também seguem a linha do exclusivo e luxuoso.

Fotos: Divulgação

A marca americana de relógios de luxo Shinola, com sede em Detroit, nos Estados Unidos, contratou o escritório americano Gachot Studios para reformar um edifício de dez andares no centro da cidade. A construção de 1915 abriga, desde dezembro do ano passado, o primeiro hotel da empresa. São 129 acomodações com janelas que acompanham o pé-direito alto e possibilitam a entrada de luz natural. Outro destaque dos quartos são as obras de arte, escolhidas pelo curador JJ Curis. As áreas de convívio contemplam bares e restaurantes, além do lounge de 130 m² ambientado com móveis feitos sob medida para o projeto quatro estrelas.