O título, assinado pelo historiador Jayme Vargas e editado pela Olhares, apresenta as peças e as composições espaciais do arquiteto

Três bons motivos para visitar o Itaú Cultural, na av. Paulista, na próxima terça-feira (18): além de ver a exposição ‘Ocupação Gregori Warchavchik”, que termina no domingo (23), será possível acompanhar o lançamento do livro Gregori Warchavchik – Design e vanguarda no Brasil, da Editora Olhares, a partir das 18h, e o bate-papo entre o autor, o historiador Jayme Vargas, e a curadora, Silvia Prado Segall, às 19h30. Pioneiro da arquitetura moderna no Brasil, Warchavchik incluiu projetos de interiores e de mobiliário em sua atuação, dois importantes elementos para consolidar a nova forma de morar na qual ele acreditava. Com base em um rico acervo de croquis e imagens de época, no ensaio fotográfico de Ruy Teixeira sobre peças originais e na análise histórica, o leitor terá oportunidade de conhecer detalhes desse viés menos notório, mas igualmente vanguardista, de sua contribuição ao modernismo.

Desde a construção em 1928 de sua própria residência, na rua Santa Cruz, na Vila Mariana, considerada a primeira casa moderna do país, Warchavchik desenhou móveis, alguns deles presentes em outros projetos subsequentes, encomendados por clientes. Na Exposição de uma Casa Modernista, que organizou com a colaboração de artistas como Tarsila do Amaral e Lasar Segall, em 1930, em uma casa construída na rua Itápolis, Pacaembu, o mobiliário foi pintado com tinta prateada e convivia com paredes verde-água, cortinas vinho e estofados roxos.

“Warchavchik não era alheio à prática modernista da época, a ideia de ‘obra de arte total’. Conceito que se originara na Alemanha do século XIX, e que naquele momento compreendia a criação, sem diferenciações hierárquicas, de diversas modalidades de expressão criativa”, explica Jayme Vargas no texto de análise histórica em que contextualiza a trajetória do judeu russo que estudou em Roma e poucos anos depois de chegar ao Brasil já estava envolvido com o movimento modernista.

O acervo de fotos, croquis e outros documentos reunido na publicação dá dimensão à extensa produção do arquiteto no campo dos interiores, além disso, oferece um panorama único de uma modernidade em construção. As peças originais fotografadas por Ruy Teixeira em casas da família e de colecionadores complementam a apresentação de estética particular, apesar de fortemente vinculada a seu tempo.