Prédio de quase 200 anos abriga exposição imersiva sobre a vida e a obra do artista

No edifício de uma antiga metalúrgica, fundada em 1835, os quadros do pintor holandês ganham vida por meio de projeções que surpreendem pelo realismo. Cores, texturas e formas pinceladas por Vincent Van Gogh desenham colunas, paredes e piso no galpão de mais de 10 metros de altura.

A partir de hoje (22 de fevereiro), o público poderá caminhar pelo Campo de Trigo com Corvo, passear por Lírios e Girassóis e observar A Noite Estrelada, entre tantas outras obras na mostra “Van Gogh – Starry Night”, que ocupa parte do Atelier des Lumières, o primeiro museu de arte digital da capital francesa. Mais duas mostras ficarão em cartaz até 31 de dezembro: “Dreamed Japan: Images of the Floating World”, imersão no imaginário coletivo sobre o Japão, e “Verse”, instalação que retrata a beleza visual e poética do universo.

A exposição evoca o Van Gogh emocional, caótico e poético, ressaltando o contraste de sombra e luz.

“Dreamed Japan: Images of the Floating World” propõe uma imersão na cultura oriental de gueixas, samurais e espíritos.