Com estande em parceria com o Museu da Casa Brasileira, editora expõe na feira o novo livro sobre o design do arquiteto

A Editora Olhares marca presença no 3o pavimento da SP-Arte em estande compartilhado com o Museu da Casa Brasileira, no qual o principal destaque será o recém-lançado “Ruy Ohtake: o design da forma”, coeditado com o Instituto Tomie Ohtake. Produzido por ocasião da exposição homônima, o livro repassa a trajetória de um dos mais conhecidos arquitetos brasileiros, como designer de móveis, econta com autoria dos curadores Fabio Magalhães, Marili Brandão e Priscyla Gomes e ensaio fotográfico de Ruy Teixeira. Na quinta (4), às 16 h, Ruy Ohtake conversa com o público da SP-Arte no espaço da Artefacto.

Ruy iniciou sua carreira nos anos 1960, no contexto do brutalismo da Escola Paulista, e desde seus primeiros projetos, nota-se a preocupação de estender o controle sobre os modos de habitar ao desenho do mobiliário, com o uso predominante de estruturas fixas de concreto.

Tempos depois, sua obra passou a ser fortemente marcada por curvas e cores. O traço livre e as composições visuais se estendem para as peças que complementam os projetos. O arquiteto produziu também séries autônomas de design, marcadas pela experimentação dos limites de materiais como o aço, o MDF e o vidro.

Outros recentes títulos da editora também estarão à venda, como “Percival Lafer: design, indústria e mercado”, “Arquitetura no Divã: a quarta dimensão do espaço”, da arquiteta Shirlei Zonis, e “Dezoito Graus: a biografia do Palácio Capanema”, de Lauro Cavalcanti.

Na sexta-feira (5), às 14 h, a Olhares promove, no espaço da Artefacto, o debate sobre Colecionismo entre Jayme Vargas, colecionador de móveis modernos, e Mauro Finatti, colecionador de arte e design contemporâneos.

No estande, estarão ainda os livros mais representativos do museu, como ‘Remanescentes da Mata Atlântica & Acervo MCB’, publicado no ano passado em parceria com a Olhares, de autoria do botânico Ricardo Cardim. Além de outros títulos.

Os visitantes poderão também obter mais informações sobre o Amigos do MCB, programa criado com o objetivo de aproximar o público das atividades do museu e de incrementar a captação de recursos para elaboração de sua agenda de programação cultural.

Entre os benefícios exclusivos, contemplam-se: entrada gratuita e ilimitada durante o período de um ano, visitas especiais com os educadores e descontos entre seus parceiros, tais como Aliança Francesa, Teatro Aliança Francesa, Livraria Cultura, Restaurante Santinho MCB, Pati Piva e Loja Tororó.

Fotos: Ruy Teixeira e Divulgação

Leia também