No Dia Internacional da Mulher, elegemos cinco profissionais que, com talento para reunir pessoas, movimentam o mercado de arte, design e decoração no país

No comando de feiras, festival ou mostra de design de interiores, o competente grupo acima é responsável por fomentar a economia criativa, divulgando e trazendo para o mercado trabalhos de artistas, artesãos, designers, arquitetos e decoradores. Conheça um pouco da história dessas mulheres determinadas e de espírito empreendedor que refinam o olhar do brasileiro e valorizam nossa cultura material.

Foto: Reprodução/Feira Rosenbaum/Loiro Cunha

Cris Rosenbaum

A Feira na Rosenbaum começou, no bairro de Pinheiros, junto ao escritório de arquitetura e design de Marcelo Rosenbaum, ex-marido de Cris Rosenbaum. Disposta a educar o público a valorizar as criações autorais e a identidade brasileira, a curadora deteve seu olhar aos artefatos de artesãos tradicionais e designers contemporâneos. Cris também tem unido talentos a fim de estimular criações exclusivas para seu evento, que circula em São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba, além de estar presente na feira Abup, onde montou a unidade de negócio Projeto Célula com Marco Aurélio Pulchério, da Marco500, cujo objetivo é apresentar a a diversidade do design autoral e independente a compradores e visitantes de diferentes partes do país e do exterior.

Foto: Reprodução/SP-Arte

Fernanda Feitosa

Criadora, em 2005, da SP-Arte, a ex-advogada Fernanda Feitosa comanda o maior festival internacional de arte de galeria da América. Sediado no Pavilhão da Bienal, no Ibirapuera, o evento cresceu de 40 galerias, ocupando 5 mil m², para 164 de arte moderna e contemporânea – 34 delas estrangeiras – em 30 mil m². Há três anos, Fernanda introduziu o setor de Design à feira e, em 2007, lançou a SP-Arte/Foto, considerado o mais importante espaço da fotografia autoral no país. A paulista trabalha ativamente para formar novos colecionadores.

Foto: Divulgação/Marco Antonio

Lívia Pedreira

Diretora Superintendente desde novembro de 2014 da mais importante mostra de decoração das Américas, a Casa Cor, a jornalista baiana Lívia Pedreira trabalhou durante 24 anos em revistas do segmento na Editora Abril, em São Paulo. Começou como editora de Casa Claudia, foi Diretora de Redação da revista Arquitetura & Construção até chegar ao cargo de Publisher da unidade Casa & Construção, com vários títulos relacionados a área. Em sua primeira atuação no comando do evento, em 2015, propôs o conceito de brasilidade como tema a ser desenvolvido pelos arquitetos e designers de interiores em seus espaços. Atualmente dirige 23 franquias nacionais e internacionais, que movimentam anualmente milhares de profissionais da área.

Foto: Reprodução/Facebook

Marisa Ota

O nome da curadora e designer Marisa Ota está diretamente vinculado à Paralela, feira voltada a produtos de design autoral brasileiro. A experiência começou 17 anos atrás, quando, chamada por Renata Mellão, diretora do Museu A Casa, organizou o primeiro evento na Vila Madalena com o projeto Design Solidário, criado por estudantes holandeses da Design Academy Eindhoven. Essa foi a primeira incursão de Marisa no universo do design ligado ao artesanato. Um ano depois, idealizou um circuito com ateliês do bairro a fim de vender a lojistas do país. O negócio, que procura juntar pessoas com certa linguagem comum, cresceu e a Paralela se transferiu para o Museu Brasileiro da Escultura (MuBE), depois para o Instituto Tomie Ohtake e hoje conta com a Oca, no Parque do Ibirapuera, como sua sede, abrigando mais de 60 expositores, entre artistas, artesãos, designers autônomos e fábricas de móveis. Marisa comanda ainda duas lojas com itens de moda e decoração: a Tororó, no Museu da Casa Brasileira, e a IT, no Instituto Tomie Ohtake.

Foto: Lufe Gomes

Simone Quintas

Depois que deixou a direção da Casa & Jardim, revista onde atuou durante 21 anos, a jornalista Simone Quintas se associou ao produtor cultural Junior Guimarães para criar a Semana Criativa de Tiradentes, um evento anual que reúne, desde 2017, criativos para repensar o artesanato, o design e o morar brasileiros e estimular o fazer artesanal na cidade histórica de Tiradentes, em Minas Gerais, para onde Simone se mudou com a família. Durante quatro dias, em um intercâmbio de conhecimento entre o contemporâneo e o tradicional, são realizadas palestras, bate-papos, exposições, laboratórios de cocriação e workshops para introduzir o assunto junto a outros públicos e engajá-los na era do capitalismo intelectual. Na cidade conhecida pela variedade de artesãos habilidosos em diversas técnicas e matérias-primas, Simone seleciona esses profissionais para promover o encontro com renomados designers, convidados por ela, a fim de desenvolverem produtos para a exposição durante a Semana que chega a receber 4 mil pessoas.