Nas feiras de fevereiro, pinçamos as peças que atraíram nosso olhar

É preciso ter olho clínico para identificar entre tantos produtos o que se deseja levar para a casa. Semestralmente, lojistas de várias regiões do país vêm a São Paulo para circular nas feiras de design e decoração em busca das novidades do setor. Visitamos duas delas: a Paralela, realizada na Oca, prédio concebido por Oscar Niemeyer no Parque Ibirapuera, e a Abup, no complexo do São Paulo Expo, com expositores da grande indústria e do design autoral. Nesta reportagem, focamos na produção de designers brasileiros que criaram suas próprias marcas e produzem peças artesanais e semi-industriais.

Na Paralela Design

Em sua 37ª edição, a Paralela é uma das principais vitrines do design autoral brasileiro, com curadoria de Marisa Ota, que há 19 anos está à frente da feira.

Alva Design: formas leves e bem dosadas

A dupla mineira do Alva Design amplia a coleção de objetos de pedra-sabão com quatro novas linhas. Uma delas é a Ovni, que conjuga influências do desenho de memória modernista com a materialidade barroca. Seus castiçais, de bronze fundido, podem ser encaixados em bases circulares componíveis, protegendo mesas e bancadas dos respingos das velas. As demais linhas, registradas na Paralela, são: a Punk e a Perfumaria, com detalhes de madeira, e a Abacate, que imita as características da fruta.

Tiago Curioni: material nobre em cacos

O designer paulista apresentou a coleção Across the Ocean, desenvolvida em Portugal, país para onde ele se mudou há quase dois anos. Entre os produtos, destacamos os produzidos com retalhos de marmoraria, que se transformaram em ganchos para o cabideiro Dorsal, de piso e parede, e na bandeja Solaris, composta por seis partes. “Em uma delas, a pedra é de tom diferente para lembrar sua origem”, afirmou Tiago.

Suzanne Reboh: conhecimento ancestral

A designer trouxe para a Paralela suas elegantes garrafas Terracota, que, graças ao material, mantêm o sabor e o frescor da água e atenuam a acidez do vinho. Prática comum no mundo antigo. São feitas no torno, uma a uma, sem pintura nem esmaltação. A novidade recente, porém, é a luminária Ibi, do tupi-guarani terra e chão, com base de concreto e cúpula de porcelana. A inspiração vem do entorno da Lagoa de Ibiraquera, em Santa Catarina.

Nara Ota: pedras e volumes

A arquiteta investiu em uma coleção com itens de mesa cujo material são pedras nacionais exóticas provenientes de Cachoeiro do Itapemirim. Batizada Itá=Ishi, que combina as palavras pedra em tupi-guarani e em japonês, respectivamente, a linha foi desenvolvida em parceria com o artesão Romario Rosa e reproduz o relevo da região nas peças esculpidas à mão.

Nicole e Luiza Toldi: leveza e solidez

As peças de porcelana branca repletas de texturas da dupla, formada por mãe e filha, surpreendem a cada coleção. Desta vez, elas focaram em pequenos objetos, como copos e xícaras, e retomaram as jarras. A linha Simbiose com suportes de ferro também estiveram na feira.

Crafta Inteligente: sustentabilidade

Papel reciclado é a matéria-prima da empresa que nasceu da necessidade crescente do mercado por mobiliário leve e de baixo impacto ambiental. Na Paralela, a marca expôs fruteiras, cestos e boleiras, além de vasos e mesas. Os itens vêm desmontados e se revelam ao juntar os velcros de cada lateral.

Popoke Brasil: brinquedo para adultos

A marca fundada pelos artistas Eduardo Castanheira e Natália Rocha tornou-se conhecida pelos personagens lúdicos, todos fabricados com sobras de madeira de marcenaria. Entre as espécies, estão muirapiranga, pau-marfim, imbuia, acapu e garapeira. Entre os bonecos, Lili Terráquea e o Mostro Dentinho cumprem missões: ela recebe os amigos intergalácticos no nosso planeta, e ele enxerga os maus sentimentos, transformando-os em energias positivas.

Na Abup

A Associação Brasileira das Empresas de Utilidades e Presentes (Abup) organiza a feira Home & Gift de negócios do segmento de decoração, utilidades domésticas e mesa posta para lojistas de todo o país. Em fevereiro, aconteceu a 40ª edição.

Estúdio Iludi: ritmo e poesia

A coleção Sarau fala sobre a união de cores e peles, reunindo novas possibilidades em centros de mesa para diferente estilos e momentos. As peças misturam estrutura de metal e suede de dupla face com cores vibrantes e de paleta neutra. Foram apresentadas no espaço de Marco 500 na feira, que reuniu uma grande diversidade de designers e artistas populares.

Andrea Macruz: alta tecnologia

Impressos 3D de plástico reciclado, os vasos l.op são criações da designer Andrea Macruz. Ela expôs as peças nas cores branca e vermelha na Paralela e na área da ADP (Associação dos Designers de Produto) na feira ABUP.

Suka Braga: planos e formas

Joalheira e designer, a mineira expôs, no setor do Projeto Célula, suas belas esculturas tridimensionais. Além das bateias de latão, apresentou a obra Pêndulo da Potência, com grandes pratos de mesa e parede. O resíduo da indústria de pedras preciosas e ornamentais se revelaram nos vasos Forma, de leve transparência.

Ále Alvarenga

Expostas no estande Marco 500, as luminárias do mineiro Ále Alvarenga são produzidas de MDF, lâminas de madeiras, cúpulas de vidro soprado e componentes metálicos. Da ampla coleção, selecionamos estas três: duas de mesa e uma de piso.

Estúdio Dentro

Inspirada na sobreposição das copas das árvores, a coleção Dossel é composta por cinco vasos que podem ser usados individualmente ou em conjunto – como vasos, fruteira, porta-objetos, ou elemento decorativo. O corpo dos vasos é feito de madeira jequitibá maciça torneada, recebendo acabamento natural ou ebanizado. As diferentes alturas e diâmetros dos cilindros criam a sobreposição entre as peças, conferindo a sensação de uma floresta. Já o prato de alumínio dos vasos possui uma cavidade que pode ora estar aberta, abrigando arranjos secos ou molhados, ora fechada, permitindo o apoio de outros itens em sua superfície.