Projeto concebido pelo escritório MOV.IN Arquitetos ganhou o título de “Coworking do Ano” pelo Frame Awards. Embalados pela notícia, selecionamos também curiosos espaços de trabalho pelos cinco cantos do planeta

Fotos: Marcelo Donadussi

Pedras flutuantes, luminárias circulares que parecem sobrevoar mesas de trabalho e outras referências intergalácticas ambientam o UFO Space, coworking em Canoas, no Rio Grande do Sul. O workspace de 600 m² foi eleito em fevereiro pelo voto popular como o “Coworking do Ano” no Frame Awards, premiação organizada pela plataforma holandesa de mesmo nome, uma das mais conceituadas do mundo no segmento de design e arquitetura de interiores.

O reconhecimento internacional surpreendeu os três jovens sócios do MOV.IN, fundado em 2017, em Canoas. Francisco Tubino, Guilherme Sabedotti Busin e Matheus Stringuini viajaram para a capital holandesa a fim de apresentar o projeto ao júri e participar da noite de premiação. “Publicamos o projeto no ArchDaily Brasil e logo depois recebemos um e-mail de um dos diretores da Frame, pedindo mais informações. Inscrevemos o coworking no prêmio, passamos por duas fases até chegar aos cinco finalistas”, contou Guilherme, que concluiu no mês passado a faculdade.

UFO, o nome de batismo da empresa – sigla em inglês para objeto não identificado –, foi a inspiração para o trio projetar, com Lucas Dutra, o muro de gabião composto por módulos metálicos preenchidos de pedras, elemento principal do espaço, que separa salas de reuniões e escritórios dos ambientes compartilhados. No segundo andar, uma rede suspensa permite pairar sobre o térreo durante momentos de descompressão. “Estar entre os melhores escritórios de arquitetura do mundo já foi um orgulho, imagine, então, receber o prêmio pela preferência do público”, disse Guilherme.

Veja ainda outros dois concorrentes da categoria da qual concorreu o escritório brasileiro e também outros coworkings pelo mundo que estimulam a criatividade e a produtividade de quem os ocupa.

Fotos: Reprodução/Frame Awards

Olhar para os reciclados

O projeto escolhido como “Coworking do Ano” pelo júri técnico no Frame Award foi o assinado pelo espanhol Jose Maria de Churtichaga, com boas práticas sustentáveis aliadas ao design funcional. Vidro reciclado da comunidade Cantábria, no norte da Espanha, foi transformado em pastilhas para revestir piso, paredes, teto e escada no Impact Hub Piamonte, em Madrid. Fibra natural e madeira certificada também foram empregadas pelo arquiteto.

Fotos: Paul Martin

Múltiplas possibilidades

Outro projeto que concorreu ao Frame Award e vale o registro é o Space & Time, coworking assinado pelo Russel & George, em Melbourne, na Austrália, que explora o conceito de múltiplo uso. Nos 390 m², é possível criar áreas de trabalho, transformar o ambiente em espaço de evento, reorganizá-lo para uma exposição, entre outras possibilidades. Chama a atenção também a iluminação artificial, que imita o céu e pode ter sua temperatura e intensidade modificados de acordo com o cenário.

Fotos: Aaron & Jon Photographers

Para adultos e crianças

Inaugurado em julho de 2018, o Big and Tiny, em Santa Mônica, na Califórnia, é um espaço pensado para pais e filhos dividido em três áreas: café, brinquedoteca e coworking. O projeto, assinado pelo escritório espanhol Zooco Estúdio, tem como objetivo permitir aos pais que trabalham como autônomos conciliar vida pessoal e profissional.

Fotos: Reprodução/Dezeen

Terraço comunitário

Canopy ocupa 1,2 mil m² do último andar de um prédio de tijolinhos aparentes no centro de São Francisco, na Califórnia. Com mesas comunitárias, escritórios privados e salas de reunião, o lugar mescla tons claros de rosa, verde e cinza. Entre os espaços coletivos, estão o café e o terraço, cuja vista para o skyline da cidade é uma das principais atrações. Criação dos designers Yves Behar e Amir Mortazavi.

Fotos: Salva Lopez

Décor com toque residencial

Cloud Coworking, em Barcelona, abriga dez escritórios privados, duas salas de reunião e uma área de descanso comunitária em 750 m². O que chama a atenção no projeto do escritório espanhol Mesura é a ambientação: móveis soltos, tapetes persas, plantas e peças decorativas que dão ares residenciais ao espaço, com farta iluminação natural.

Fotos: Reprodução/Designboom

De piscina de bolinhas a sala individual

Unova, do escritório de arquitetura chinês X-Living, ocupa quatro andares de um prédio na cidade de Shenzhen, na China. Mix de estampas e padrões, cores fortes e móveis com design arrojado compõem o lugar, cuja divisão de pavimentos se dá pelo uso dos espaços. No primeiro, fica o lobby e a recepção; no segundo, o refeitório; e os dois seguintes são reservados para as áreas de trabalho: o terceiro voltado ao público jovem – com direito a piscina de bolinhas na área de descompressão – e o último pensado para abrigar executivos.

Fotos: Reprodução/Dezeen

Sobre rodas

A vista e a localização mudam com frequência, mas o interior é sempre o mesmo no coworking móvel Nova, da empresa Work & Co. A ideia foi planejar um espaço que estimulasse a criatividade dos usuários aliado ao perfil nômade de quem trabalha como autônomo. A partir dessa premissa, Julien Verspieren e Jolize Pienaar, fundadores da companhia, bolaram a estrutura que circula por Cape Town, África do Sul, engatada em um automóvel. Equipado com wifi, minibar, smart tv, banheiro e água potável, o espaço utiliza painéis solares, instalados no teto, como fonte de energia.