Augusto Pinto e Morena Leite disponibilizaram as cozinhas de seus restaurantes para preparar refeições a populações vulneráveis

Alírio de Castro.

“O que eu ia fazer com todo aquele estoque de comida? Jogar fora?”, indagou Augusto Pinto, do restaurante Mimo, no Jardim Paulista, em São Paulo. “Eu decidi me tornar um soldado para ajudar o maior número de pessoas. Não sou médica, mas sou cozinheira. Não deixarei as pessoas morrerem de fome”, afirmou Morena Leite, dona do Capim Santo e do Santinho, com unidades em São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia. Os dois são exemplos de chefs de cozinha que formaram redes solidárias para alimentar comunidades carentes durante a quarentena imposta pela pandemia.

Alírio de Castro e Rafael Wainberg.

Idealizado por Augusto Pinto, o projeto Comida para Todxs nasceu em abril, inspirado na economia circular e contando com o apoio de fornecedores de insumos, empresas e simpatizantes da causa. A cozinha, que fica dentro do restaurante Mimo, trocou temporariamente os pratos mediterrâneos por marmitas com arroz, feijão, legumes e proteínas variadas. O apoio logístico vem da Porto Seguros, que entrega as embalagens de segunda a sexta-feira na Favela do Moinho, na região central de São Paulo. Todos que participam do projeto são remunerados e, na maioria das vezes, também é doador e colaborador.

“Tem dia que eu vou ao mercado comprar 50 quilos de legumes e saio com 100. É solidariedade, todos contribuindo”, diz o carismático chef. “Esse é o grande projeto da minha vida.” Os líderes comunitários recebem com alegria a notícia de que o Comida para Todxs chegará para alimentar mulheres, homens e crianças, que, muitas vezes, não comeram nada até aquele momento. “Deus abençoe o trabalho que vocês estão fazendo”, “Muito obrigada”, “O trabalho de vocês é dez” são algumas das frases ouvidas durante a distribuição das quentinhas.

Como parte do projeto, Pinto convidou fotógrafos profissionais para clicarem as ações. Cada um deles receberá 350 reais pelo trabalho de uma hora, e mais apetrechos de segurança como álcool em gel, luvas e máscara de proteção. O material será utilizado na conta @comidaparatodxs no Instagram e as fotos mais curtidas farão parte de uma mostra aberta ao público e de um livro do projeto, cujo título é “A Cara da Covid-19”.

Marmitas de São Paulo a Bahia

Divulgação.

A chef Morena Leite organizou o Capim Santo Solidário, referência ao nome de sua rede de restaurantes, para produzir mais de mil marmitas semanais, com receitas variadas e ingredientes saudáveis, a hospitais de campanha e comunidades carentes de São Paulo, atingidas pela crise decorrente da propagação do coronavírus. A iniciativa tem apoio de empresas do setor alimentício e de transporte para entregas.

“Antes da Páscoa, uma pessoa me falou que tinha recebido uma doação da Cacau Show de 3 mil ovos e me pediu ajuda para distribuir. Isso me resgatou. Passei três dias ligando para instituições, conectando pontas. Organizamos motorista de táxi, motorista do Capim… Quando acabou, estava tão feliz que percebi: é isso. Tenho facilidade de conectar pessoas e não posso me dar o direito de ficar deprimida. Preciso fazer algo”, afirmou Morena em uma entrevista à coluna de Sonia Racy no O Estado de S. Paulo.

Por dia, a equipe de Morena produz 200 marmitas em Trancoso, mil em São Paulo e 100 em Itacaré. “Desde que o projeto foi divulgado, meu WhatsApp não para de receber ofertas de doações. São muitas empresas ajudando. É uma corrente do bem. As pessoas acham que essa onda de solidariedade vai acabar depois da pandemia, mas não vejo assim. Acho que as pessoas estão se transformando, prestando atenção. Os médicos têm o dever de cuidar e eu, como cozinheira, o dever de alimentar”, declarou.

Como ajudar

Página no Instagram @comidaparatodxs

Doações em dinheiro no crowdfunding hospedado no Abacashi. A cada 20 reais, uma marmita é montada, embalada e entregue a uma pessoa que tem fome.

Para doar roupas, cobertores, produtos de higiene e outros itens básicos, fale com a equipe via mensagem direta no Instagram

Capim Santo Solidário

Página no Instagram @institutocapimsanto

Doações em dinheiro: Bradesco, agência 0895, cc. 1500-8, CNPJ 07.338.081/0001-83, Capim Restaurante e Eventos Ltda.

Doações em produtos: (021) 98576-0606; (011) 98160-9911. (011) 99883-1175; (073) 98861-1242.