Às vésperas do tradicional feriado de Corpus Christi, selecionamos seis pequenos templos espalhados pelo mundo que convidam à reflexão

Obras de importantes arquitetos, as capelas selecionadas aqui aliam o traço contemporâneo das estruturas a interiores desprovidos de adornos e que valorizam a natureza do entorno e a mão-de-obra local, criando espaços únicos e que inspiram à introspecção. A única exceção é a capela em Las Vegas, na terra dos cassinos e dos casamentos, planejada por um designer gráfico.

Fotos: Divulgação.

Na floresta da Baviera, troncos de árvores criam um espaço de descanso e contemplação para ciclistas, em Lutzingen, cidade no sudoeste da Alemanha. O britânico John Pawson empregou a matéria-prima quase em seu estado natural, com poucas intervenções na madeira. A iluminação natural é garantida por pequenas aberturas na parte superior da construção e na fachada. Em uma das paredes, a cruz entalhada imprime o ar ecumênico ao refúgio sagrado.

Fotos: Divulgação.

Concluído em 2016, o projeto de Miguel Pinto Guimarães arrematou em maio deste ano o renomado Golden A’Design Award, na categoria Architecture, Building and Structure Design pela International Design Academy. Sobre um lago em Itaipava, no interior de uma propriedade privada, a construção parece flutuar e se mistura às curvas da serra fluminense. Uma plataforma leva à caixa de vidro que abriga o espaço de oração. Pórticos de aço corten em diferentes tamanhos emolduram o conjunto e criam curvas inspiradas em edifícios modernistas. O escritório recebeu ainda premiações por mais dois projetos no Rio de Janeiro: a Casa Grabowsky e a Escola Eleva Barra, vencedora do Silver A’Design Award.

Fotos: Reprodução/Dezeen.

Estrutura de concreto compõe a capela projetada pelo escritório de arquitetura texano Studio 512. Em Georgetown, no estado norte-americano do Texas, a construção faz parte de um vinhedo onde são realizados casamentos. Na parte mais alta da edificação, que abriga a cruz e é revestida de vidro, fica o altar, propiciando uma vista para as árvores que contornam o terreno.

Fotos: Reprodução/Designboom.

Kengo Kuma assina um curioso projeto em Nagano, no Japão. Batizada de Birch Moss Chapel, a construção foi pensada para se misturar à paisagem. Para isso, foram utilizados troncos de árvores semelhantes aos encontrados no entorno da capela, vidro na cobertura e nos bancos, e grama no piso. Na entrada, uma obra do artista contemporâneo francês Jean-Michel Othoniel recebe os visitantes.

Fotos: Reprodução/Dezeen.

Duas placas de madeira laminada cruzada compõem as paredes desta pequena capela em Maldonado, no Uruguai. Localizada no centro de um vinhedo, a construção e seu entorno fazem parte do Sacromonte Landscape Hotel. O projeto arquitetônico é assinado pelo MAPA, fusão de dois escritórios de arquitetura, um uruguaio e outro gaúcho.

Fotos: Fotos: Bernardo Bader Architekten | Dornbirn.

Bernardo Bader reconstruiu uma capela de mais de 200 anos na cidade de Krumbach, na Áustria, com quase as mesmas linhas arquitetônicas da original. Como o templo de madeira e pedra é de uso comunitário, o projeto priorizou o trabalho em equipe, unindo o arquiteto austríaco com os habitantes da região e os artesãos que executaram a obra.

Fotos: Reprodução/Dezeen.

Em uma das cidades com o maior número de capelas no mundo, o designer gráfico Joshua Vides teve o desafio de conceber um local que se destacasse entre os demais. Dentro do Palms Casino Resort, em Las Vegas, nos Estados Unidos, o ambiente, batizado de Till Death Do Us Part – até que a morte nos separe – mais parece uma instalação: em preto e branco, os móveis e os elementos arquitetônicos lembram uma ilustração de cartoon. A ideia do autor era criar um ambiente altamente instagramável. Pelo jeito, acertou!