De ciclovia à sede da Amazon, veja exemplos de arquitetura sustentável em diferentes países

O site da revista italiana Elle Decor relacionou 30 projetos ecológicos pelo mundo para melhorar a qualidade de vida dos habitantes. Dessas experiências, selecionamos dez construções de renomados arquitetos, urbanistas e paisagistas, que privilegiam o uso de painéis solares, reciclagem de água, telhados verdes e muito mais.

Taiwan

De acordo com as diretrizes do governo de Taiwan em relação à sustentabilidade, o edifício Sky Green, projetado pelos arquitetos da WOHA, experimenta novas formas de eco-vida em contextos densamente urbanizados. A fachada das duas torres, que inclui misto de residências, serviços de varejo e recreação, é caracterizada por varandas pendentes cobertas de árvores, galerias sombreadas e grades, servindo de suporte para trepadeiras. Verde e arquitetura contribuem para transformar a fachada em um dispositivo sustentável que relaciona o interior e o exterior dos espaços de convivência.

Bélgica

Na província belga de Limburgo, uma ciclovia oferece uma estreita relação com o verde. Projetado por Buro Landschap, um anel de 100 metros de diâmetro que os ciclistas e pedestres podem viajar nas duas direções até atingirem a altura 10 metros, com vista sem precedentes das copas. A passarela, que lembra simbolicamente a forma dos anéis das árvores, é feita de corten e apoiada por 449 colunas, que se misturam aos troncos existentes. Os removidos para a construção foram usados para erguer o centro de informações.

Estados Unidos

Foram necessários sete anos de trabalho para o maior varejista on-line do mundo inaugurar sua principal sede em Seattle: três estufas interligadas, projetadas para oferecer aos funcionários da Amazon a escolha do lugar ideal para se reunir, trabalhar ou simplesmente relaxar, imerso em uma verdadeira floresta tropical. Nas três esferas, projetadas pela NBBJ, mais de 40 mil plantas, para um total de 400 espécies de 30 países diferentes ao redor do mundo. No que é um paraíso de biodiversidade, verde, além de sinônimo de bem-estar psicológico, garante um microclima acolhedor para todas as necessidades.

Itália

O projeto da Biblioteca degli Alberi, no bairro de Porta Nuova, em Milão, concilia pequena a grande escalas, combinando flora, fauna e lazer em um surpreendente experimento de biodiversidade. A assinatura é de Petra Blaisse, que gosta de ser chamada de designer com formação artística. Inglesa de origem e holandesa de adoção, ela lida com o espaço a 360 graus: de instalações temporárias a intervenções permanentes, micro e macro projetos, dentro e fora de casa.

Estados Unidos

“Em vez de trazer hortaliças para o escritório, trouxemos o escritório para hortaliças.” Para a nova sede do Second Home em Hollywood, Los Angeles, os espanhóis José Selgas e Lucía Cano transformaram um antigo estacionamento em um jardim, disseminando 60 caixas ovóides transparentes de um andar para abrigar escritórios e salas de reuniões. As mais de 10 mil plantas e árvores, de 112 espécies nativas, ajudam a controlar o microclima, proporcionam sombra, reduzem a iluminação artificial. Um experimento de coexistência entre humanos e natureza.

Dinamarca

Na cidade que pretende se tornar a primeira do mundo com zero emissões até 2025, Copenhagen, os arquietos do grupo BIG projetaram a planta de desperdício em energia mais eficiente do planeta: descarta 440 mil toneladas de resíduos por ano, abastecendo 150 mil casas. Sua fachada de metal é projetada para regular a iluminação natural, atuar como suporte para verticais, coletar água da chuva. A CopenHill não é apenas uma instalação eficiente e sustentável: com seus 9 mil m² de pistas de esqui, dois teleféricos, uma parede de escalada e o mais alto platô artificial, essa arquitetura de vanguarda é um destino para entretenimento da cidade.

Estados Unidos

No Brooklyn, em Nova York, a área que abrigava a maior refinaria de açúcar do mundo, desativada em 2004, foi transformada em 24 mil m² de parque, graças ao projeto do estúdio americano James Corner Field Operations. Uma intervenção que celebra o legado de uma das margens industriais mais emblemáticas, integrando os restos arquitetônicos da planta existente com espaços de lazer, caminhos e áreas de descanso. O projeto não carece de resiliência ecológica: as superfícies foram elevadas acima do nível de risco das inundações, enquanto as plantações foram selecionadas a partir de espécies indígenas capazes de criar uma linha de defesa natural contra as inundações do East River.

Austrália

Jeppe Aagaard Andersen e Turf Design Studio assinam uma intervenção para reconfigurar o espaço público no local de uma cervejaria abandonada no distrito de Chippendale, em Sydney. Em colaboração com estúdios internacionais, incluindo Foster + Partners e Ateliers Jean Nouvel, o projeto cria uma rede de novos lugares – ruas, parques, praças; conserta as conexões com o resto da cidade e consolida seu tecido social. A atenção à sustentabilidade ambiental norteou todo o processo de projeto, alcançando os mais altos padrões de controle do consumo de energia e água.

Luxemburgo

Mesmo intervenções essenciais ao ar livre são capazes de estimular experiências inéditas de espaço público. Isso é demonstrado pelo projeto Topotek 1 de uma praça no centro de Luxemburgo, caracterizado por baixos volumes ao longo do perímetro e pelo edifício da Orquestra Filarmônica, no centro. Duas plataformas de madeira em formato de leque e um layout linear de árvores definem o layout no qual sugerem novos espaços para brincar, sentar e relaxar. Além de sediar eventos e atividades públicas, de acordo com o ritmo das estações e as necessidades da comunidade.

Rússia

No coração da capital, a poucos passos do Kremlin e da Praça Vermelha, o Zaryadye Park incorpora uma abordagem contemporânea à vegetação urbana. Com o sinal inconfundível do estúdio Diller Scofidio + Renfro, de Nova York, é ao mesmo tempo parque, praça, espaço cultural, área de lazer. Paisagens verdes se sobrepõem ao construído, ativando uma hibridação mútua entre natural e artificial, urbana e rural. As plantas foram selecionadas para celebrar as quatro zonas climáticas do país: tundra, estepe, floresta e pântanos, garantindo uma paisagem exuberante a cada estação.

Fotos Divulgação