Veja duas construções recentes que rompem com a rigidez e a simetria para criar linhas inusitadas

O norte-americano Frank Lloyd Wright (1867-1959) inaugurou a arquitetura que expressa dinamismo e foge das regras básicas para conceber estruturas convencionais. A iraquiana Zaha Hadid (1950-2016) e Frank Gehry, canadense naturalizado americano, são outras referências para essa vertente arquitetônica composta de edifícios arrojados e que parecem desafiar as leis da física. Selecionamos dois projetos de escritórios internacionais que seguem esses preceitos e surpreendem pelos volumes e pelas formas irregulares.

Fotos: Reprodução/Designboom e Divulgação

No Museu Nacional, no Catar, a loja concebida pelo escritório australiano comandado por Koichi Takada remete ao interior de uma caverna. Quarenta mil lâminas de madeira encaixadas manualmente criam formas sinuosas, cobrindo paredes, do piso ao teto. Esse, inclusive, fica quase escondido entre as curvas da arquitetura de interiores. Em alguns pontos, é possível observar detalhes da fachada de concreto em tom de areia para evocar o deserto, como desejou o francês Jean Nouvel, autor do edifício inaugurado em março.

Fotos: Reprodução/Dezeen

De frente para a baía de São Francisco, nos Estados Unidos, o edifício Mira começa a tomar forma. Projetado pelo escritório norte-americano Studio Gang em parceria com a incorporadora Tishman Speyer, o prédio de 40 andares é formado por uma série de colunas torcidas. As generosas janelas voltam-se para diferentes ângulos, como a ponte cartão-postal da cidade californiana e seu skyline, tornando única cada uma de suas vistas, além de fornecer iluminação natural para seus 392 apartamentos de luxo. Em construção, tem inauguração prevista para este ano.

Leia também