Reunimos 12 deles com atrativos que vão muito além de uma confortável sala de embarque

Verdadeiros ícones das cidades onde foram construídos, eles sobressaem pela beleza e pelas comodidades e surpresas que oferecem. O de Singapura tem até cachoeira rodeada pelo verde da mata. Em Santa Catarina, o recém-inaugurado Floripa Airport integra o interior com o exterior, em praça também convidativa para quem vive na cidade. “Fiquei impressionada com a beleza desse aeroporto, é o mais bonito que eu visitei. Sua grande praça coberta abriga lojas e jabuticabeiras”, afirma a arquiteta mineira Isabela Vecci, que inspirou essa matéria ao postar sobre o local em suas redes sociais. Reunimos aqui alguns dos mais interessantes projetos do mundo, alguns assinados por renomados arquitetos.

Fotos: Divulgação / Reprodução/Instagram.

Jewel Changi Airport, em Singapura, mais parece um parque de diversões. A mais recente novidade do aeroporto é uma cachoeira indoor, a mais alta do mundo nessas condições, localizada no centro de um jardim de quatro andares, recheado de plantas e árvores. Lá é possível realizar trilhas, relaxar nas redes suspensas e observar a vasta flora. Em outros pavimentos, pode-se visitar um jardim de borboletas, se divertir em um escorregador com doze metros de altura que passa pelos andares do edifício e se aventurar por um labirinto de espelhos dentre outras atrações.

Fotos: Isabela Vecci.

A capital de Santa Catarina ganhou no fim do ano passado um novo terminal, o Floripa Airport, assinado pelo escritório Biselli Katchborian Arquitetos, e com 13 portões de embarque. A  construção abriga uma área de entretenimento de 5 mil m², batizada Boulevard 14/32, com lojas, palco para shows e restaurantes, convidando a população da cidade a frequentar o local mesmo quando não viaja. “As boas escolhas de materiais, as estruturas de metal e o concreto aparentes e o paisagismo chamaram minha atenção. Ali você não tem sensação de confinamento”, afirma a arquiteta mineira Isabela Vecci, que viajou recentemente para Florianópolis.

Fotos: Reprodução/Dezeen / Divulgação.

O uruguaio Rafael Vinõly foi o responsável pelo projeto arquitetônico do Aeroporto Internacional de Carrasco, em Montevidéu, no Uruguai. Com dois andares, um para chegadas e outro para partidas, a construção com telhado curvo – inspirado nas dunas uruguaias – preza pela iluminação natural, com vastos painéis de vidro que integram o interior com o exterior. Atendendo dois milhões de passageiros por ano, é o único aeroporto do país com conexões internacionais.

Fotos: Reprodução/ArchDaily.

Construído em 1962, o Dulles International Airport leva a assinatura de Eero Saarinen (1910 – 1961) e recebe o nome do antigo secretário de estado americano John Foster Dulles, que serviu ao presidente Eisenhower. Dulles transporta cerca de 23 milhões de passageiros por ano, com voos para mais de 125 localidades. O arquiteto finlandês foi responsável pelo projeto arquitetônico e desenho dos principais móveis. O prédio tem dois andares, um para o embarque e check-in, e outro para o desembarque de passageiros e retirada de bagagem.

Fotos: Hufton+Crow / Reprodução/Designboom

As curvas características de Zaha Hadid (1950-2016) tomaram forma no aeroporto Beijing Daxing International, em Pequim. O complexo apelidado de “estrela-do-mar”, iniciado em 2014, começou a operar no final de setembro e deve receber 45 milhões de passageiros por ano, aliviando o Beijing Capital International Airport, o segundo mais movimentado do mundo.

Fotos: Reprodução/ArchDaily e Divulgação.

O terminal 4 do International Madrid – Barajas Airport, na capital espanhola, inaugurado em 2005, foi assinado pelo Estudio Lamela e Rogers Stirk Harbour + Partners. Aberturas circulares no teto de bambu garantem a entrada de luz natural para os diferentes andares da construção, além de contribuir para a redução do consumo de energia. Elemento visual que auxilia na orientação dos passageiros, as colunas de sustentação são coloridas em degradê de tons que vão do azul ao vermelho.

Fotos: Divulgação.

Com um prazo de apenas três semanas, o escritório americano Fentress Architects, liderado pelo arquiteto Curtis W. Fentress, elaborou o conceito visual do Denver International Airport, nos Estados Unidos. O curioso desenho, que de longe lembra pequenas tendas aglomeradas, chamou a atenção dos passageiros e da imprensa especializada, levando o título de “Melhor Aeroporto da América do Norte” pelo voto popular da revista Business Traveler entre os anos de 2005 e 2010. O design proporcionou também a acomodação de boa parte da infraestrutura no subsolo da construção, garantindo maior entrada de luz natural.

Fotos: Reprodução/Instagram.

Parte do projeto de reformas do Aeroporto Internacional de Salvador, na Bahia – reestruturação do lounge de embarque e desembarque – é de responsabilidade dos arquitetos Thais Abreu, Alberto Sena e Luiza Buratto. A inspiração para a ambientação foi a cultura baiana, no intuito de dar boas-vindas ou despedir-se dos passageiros com detalhes que remetem à capital soteropolitana. O pergolado de madeira é uma releitura do famoso bambuzal que leva ao aeroporto, enquanto os pilares fazem alusão aos dendezeiros. Destaque para as poltronas Rede, de Maurício Arruda, com acabamento em metal marrom e tecido cor caqui, personalizadas para o projeto.

Fotos: Reprodução / Dezeen / Pitch Photography.

O desenho do telhado do Terminal 2 do Mactan Cebu International Airport, nas Filipinas, tem como inspiração as ondas do mar. Se do lado de fora o revestimento é de metal, por dentro, o teto, que segue as mesmas curvas externas, foi revestido de madeira, composto por peças de diferentes tamanhos. Aberturas permitem a entrada de luz natural na parte interna da construção desenhada pelo escritório Integrated Design Associates. O local tem capacidade para receber 12,5 milhões de passageiros anualmente.

Fotos: Reprodução/ArchDaily / Nigel Young.

O Queen Alia International Airport, na capital da Jordânia, leva a assinatura do escritório britânico Foster + Partners. O telhado em mosaico se repete na parte interna da construção, unindo-se à uma série de cúpulas de concreto – material predominante no projeto – que facilita a entrada de luz natural na parte interna do prédio. Boa parte das paredes da fachada são envidraçadas, privilegiando avistar aeronaves e auxiliar na orientação dos passageiros.

Fotos: Divulgação.

Um pássaro prestes a voar. Foi essa a inspiração do espanhol Santiago Calatrava ao desenhar o Saint-Exupéry Airport Railway Station, na cidade de Lyon. O aeroporto, que abriga também uma estação de trem, é o terceiro maior da França e foi inaugurado em 1994. Aberturas no teto e painéis de vidro nas laterais favorecem a entrada de luz natural.

Fotos: Reprodução/Archidatum.

Inaugurada em 2008, a nova área do Marrakech-Menara Airport, no Marrocos, teve projeto arquitetônico assinado pelo escritório E2A Architecture e ampliou a capacidade do aeroporto para 9 milhões anuais de passageiros. Mesmo assim, especialistas afirmam que até 2025 esta capacidade já estará saturada. Arabescos, inspirados em rendas marroquinas, cobrem o teto e paredes da fachada para filtrar a luz do sol.